Viajantes portugueses preferem o Alojamento Local

Para 2019, prevê-se um impacto económico de quase 432 milhões de euros, oriundos dos gastos totais em alojamento local

A segunda edição do Barómetro do Alojamento Local, um estudo da HomeAway, uma plataforma que analisa alojamentos para férias, em colaboração com o Centro de Investigação em Comunicação Aplicada e Novas Tecnologias (CICANT) e com o Departamento de Turismo da Universidade Lusófona, voltou a inquirir os portugueses com o objectivo de analisar o perfil do viajante que escolhe alojamento local para férias.

As principais conclusões do Barómetro, permite apurar que 1,98 milhões de viajantes, residentes em Portugal, “terão ficado hospedados pelo menos uma vez, num alojamento local, sendo que a maioria dos inquiridos (84,9%) utilizou esta opção de estadia entre uma a quatro vezes, durante o período de análise do estudo.

Ainda segundo aquele estudo “os principais utilizadores da modalidade de alojamento local são as famílias com 42,1%, em seguida casais (39,5%) e grupos de amigos (17,5%).”
 Neste contexto, verifica-se ainda que grande maioria das estadias (94%) têm uma duração até sete noites e o número médio de turistas presentes no alojamento é de 3,7 pessoas.
Convém salientar que o apartamento foi “o tipo de alojamento preferido pelos viajantes (51,6%), seguido da moradia (27,1%).

Relativamnete à localização geográfica, os resultados indicam que o Algarve (25,1%), a região Norte (22,4%) e Centro (19,3%) são os destinos mais procurados pelos turistas lusos, ainda que com menos proporção comparativamente ao ano passado, devido ao aumento significativo do Alentejo, que registou 18,2% (mais 5 % comparativamente aos dados registado em 2018.

Os resultados do estudo demonstram que, à semelhança do ano passado, a internet continua a ser o método preferido para a realização de reservas (62,2%), seguido do telefone (20,6%). As principais fontes de informação que os viajantes consultam antes de realizar as estadias são os   websites especializados no arrendamento de alojamento local (33,8%), seguido de recomendações de conhecidos ou amigos (21,6%).


Adicionalmente, a segunda edição do estudo de mercado realizado pela Universidade Lusófona, procurou caracterizar o processo de escolha e de critérios de seleção do alojamento local. Os mais relevantes foram a boa localização (53,4%), preço (50,2%) e área envolvente afecta ao alojamento (34,2%), repetindo a tendência dos resultados apurados em 2018.

Fim do Ano

Fim do Ano

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade