Air France, grupo Dubreuil e easyJet na corrida à compra da Aigle Azur

O Tribunal francês está a analisar três propostas para a compra da Companhia de aviação Aigle Azur, que se encontra em processo de falência desde o passado dia 02 de Setembro.

 

Os potenciais interessados são a Air France e o grupo Dubreuil, bem como "uma transportadora aérea" que a agência AFP confirmou ser a britânica easyJet.

A decisão poderá ser posta à aprovação, mas o tribunal poderá também designar a partir de hoje um comprador ou mesmo decidir pela liquidação da Aigle Azur, que transportou 1,88 milhões de passageiros no ano passado, sobretudo para e da Argélia, Líbano, Portugal, Rússia, Brasil e Mali.

O secretário de Estado dos Transportes francês, disse à CNews ontem à noite que "há duas ofertas em apreciação: duas ofertas de companhias aéreas francesas que mantêm a ligação ao Governo".

Jean-Baptiste Djebbari revelou ainda que há uma outra oferta de "uma transportadora estrangeira".

Fontes ligadas ao processo garantiram à AFP que o candidato estrangeiro interessado na Aigle Azur é a britânica easyJet.

O Secretário de Estado referiu também que os candidatos eram a "Air France" e "o grupo Dubreuil", detentor maioritário da Air Caraïbes, através da sua filial "French Bee", que "são capazes também de fazer uma proposta conjunta".

Na semana passada, o grupo Dubreuil manifestou interesse em adquirir as rotas de longo curso para o Brasil e Mali, bem como ficar com "uma centena" de empregados.

Já a Air France confirmou à AFP ter avançado com uma oferta, sem que tenha dado mais pormenores.

No passado dia 10 de Setembro, a companhia aérea francesa Aigle Azur, informou que recebeu 14 manifestações de interesse, sem que nenhuma delas previsse a compra da totalidade do grupo.

São "essencialmente" manifestações de interesse de compra de "activos isolados", revelou então a transportadora aérea em comunicado, adiantando que também existem "projectos de compra mais globais".

As manifestações de interesse em relação à Aigle Azur surgiram no âmbito do processo iniciado pelo administrador de insolvência designado para administrar a companhia aérea francesa.

Ontem, fontes ligadas ao processo confirmaram à AFP que a manifestação de interesse do fundo americano Cyrus Capital Partners, de um conjunto de 14, tinha sido retirada.

Há duas semanas, além da Air France, surgiram notícias de que a Gérard Houa, um dos actuais accionistas da Aigle Azur (com 20% do capital), do grupo Dubreuil, casa-mãe das companhias Air Caraïbes e French Bee e do fundador da Airlinair e antigo dirigente da Air France Lionel Guérin tinham manifestado interesse.

Outras manifestações de interesse, algumas das quais não se traduziram em propostas mais firmes, chegaram da espanhola Vueling, que em Agosto, a poucos dias da suspensão dos pagamentos, tentou comprar uma parte do negócio.

A 07 de Setembro, a Aigle Azur cancelou todos os voos devido a problemas financeiros, noticiou a agência AP, sendo que de entre os voos suspensos estavam as ligações a Portugal, Mali, Brasil e à Ucrânia.

A transportadora francesa operava para os aeroportos de Faro, Funchal e Porto, em Portugal.
Com Lusa

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade