A portuguesa Hi Fly compromete-se a aumentar as chefias femininas até 2025

No âmbito da conferência IATA Wings of Change, que teve lugar em Berlim, na Alemanha, a Hi Fly foi a única companhia aérea portuguesa a assinar o acordo “25 by 2025”, um compromisso para aumentar a presença de chefias femininas na aviação, em pelo menos, 25% até 2025.

 

 A sessão que durou dois dias, reuniu companhias aéreas, autoridades governamentais, especialistas e decisores do sector.Foi discutido o futuro da indústria ainda estabelecido um compromisso, “25 by 2025”, uma iniciativa global para alterar o equilíbrio de oportunidades na indústria da aviação.

 Organizado desta vez pela Lufthansa, o IATA Wings of Change foi palco de inúmeros debates e discussões, nomeadamente sobre “competitividade, segurança, proteção e inovação,” tendo a sustentabilidade ocupado um papel muito relevante, com intervenções “sobre motores eléctricos, redução de emissões de CO2, combustíveis de aviação sustentáveis provenientes de áreas não-agrícolas e redução de ruído e reciclagem.”

O acordo “25 by 2025”, assinado pela Hi Fly como parte do programa da Conferência, consiste numa campanha voluntária para as companhias aéreas membros da IATA, para melhorar a representação feminina na indústria em 25%, ou até um mínimo de 25%, até 2025.
Trata-se de uma campanha que visa mudar as principais métricas de diversidade e inclusão em todo o sector.

 No decorrer da Conferência, o CEO da Hi Fly, Sérgio Bagorro, deixou claro que: "Estamos felizes por apoiar a iniciativa “25 by 2025”, e posso assegurar que a Hi Fly tem estado na dianteira dessa caminhada, assim como em muitas outras.”
Falando da sustentabilidade Sergio Bagorro afirmou:

Quando se trata de sustentabilidade, temos uma longa história de liderança, faz parte da nossa cultura corporativa liderar pelo exemplo e partilhar essa informação”.

 

Foram 30 as companhias aéreas que assumiram o seu compromisso ao assinar este acordo, incluindo a Hi Fly, que se tornou assim a única companhia aérea portuguesa a comprometer-se com a iniciativa.

 Ao estabelecer este compromisso, todas as companhias aéreas concordaram em fazer um relatório anual sobre as principais métricas de diversidade, aumentar o número de mulheres em cargos seniores e áreas sub-representadas, aumentar as nomeações femininas para funções de governação da IATA, para um mínimo de 25%, trabalhar com a IATA para aumentar o número de mulheres nomeadas para funções de governação da IATA para um mínimo de 25%.

Por seu lado, a IATA apoiará as companhias aéreas a alcançar esse objectivo, criando um fórum para partilhar as melhores práticas e trabalhando para aumentar o número de mulheres nos cargos seniores da IATA, alinhadas com as metas de “25 by 2025”.

Fim do Ano

Fim do Ano

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade