Boeing volta a prejudicar as companhias de aviação, desta vez é a Ryanair

A Ryanair vai encerrar duas bases na Alemanha e Suécia no próximo verão devido a uma previsão de queda no movimento de passageiros provocada por atrasos na entrega de aviões Boeing 737 MAX.

O administrador da Ryanair Eddie Wilson, explicou em comunicado que “lamentamos o encerramento destas duas bases e cortes menores na capacidade de outras bases, o que se deve apenas a mais atrasos na entrega dos nossos aviões Boeing MAX”.

Confirmado parece estar já o encerramento, no final do primeiro trimestre de 2020, das bases de Nuremberga, na Alemanha, e Skavsta, na Suécia, com a Ryanair a apontar também a redução da capacidade de algumas das restantes bases, bem como alguns despedimentos.

A Lusa noticiou que a Ryanair já tinha indicado no mês passado que existia “um risco real” de não ter todos os aparelhos novos em 2020, informação que foi agora confirmada, com a companhia a revelar que só vai receber metade dos 20 previstos.

No entanto, a Ryanair está já a rever as suas previsões, estimando transportar 156 milhões de passageiros no próximo exercício fiscal, que termina em 31 de março de 2021, um milhão abaixo do previsto anteriormente.

O Administrador assegurou ainda que a empresa continua a trabalhar com a Boeing e com os aeroportos afetados para “minimizar” os cortes na sua capacidade e as “perdas de empregos”.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade