Ministro afirmou que "o actual aeroporto de Lisboa não tem capacidade para receber todos os voos"

Ministro afirmou que "o actual aeroporto de Lisboa não tem capacidade para receber todos os voos"
O Turismo PT

Uma das principais "bandeiras" da Confederação de Turismo de Portugal (CTP) é a criação de um novo aeroporto e hoje afirmou que as declarações do Ministro "são muito positivas".

O Ministro das Infraestruturas e Habitação afirmou hoje que "não há tempo nem dinheiro para estudar novas localizações e que o Montijo é o melhor".

Segundo a Lusa, "no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado [OE] para 2020, as declarações de Pedro Nuno Santos vieram confirmar que o Governo está empenhado no dossier do novo aeroporto, referindo que não há tempo nem dinheiro para estudar novas localizações e que o Montijo é a melhor solução", referiu Francisco Calheiros, presidente da entidade, citado no comunicado hoje divulgado.

A Confederação "congratula-se com estas afirmações, que vão ao encontro do que temos vindo a defender, e esperamos que sejam sinónimo de que as obras vão avançar rapidamente", acrescentou o presidente.

Francisco Calheiros afirmou que "é urgente dar início aos trabalhos no Montijo" e que, "se as obras do aeroporto não arrancarem este ano, o crescimento do turismo fica comprometido".

O dirigente vincou que "não podemos esperar mais. Os estudos estão feitos, analisados e discutidos. É necessário passar à acção".

A CTP considera, assim, "muito positivas as recentes declarações" de Pedro Nuno Santos sobre o novo aeroporto.

No passado dia13 de Janeiro, o Ministro afirmou, no parlamento, que o novo aeroporto de Lisboa no Montijo "é crítico" para Portugal, considerando que não se tem o "direito de continuar a adiar o desenvolvimento do país".

Pedro Nunes Santos afirmou numa audição parlamentar, no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento de Estado para 2020 que "para um país periférico como Portugal o investimento aeroportuário, o novo aeroporto na região de Lisboa, é determinante, é crítico para que o nosso povo possa viver melhor".

O governante salientou que "o actual aeroporto de Lisboa não tem capacidade para receber todos os voos e que a localização da nova infraestrutura no Montijo é a solução".

Afirmou ainda que "não temos o direito de continuar a adiar o desenvolvimento do país", salientando que "todos os investimentos em infraestruturas têm impacto ambiental, que não haja ilusão nenhuma sobre isso".

O que é preciso "é garantir um equilíbrio" entre a preservação do ambiente e qualidade de vida, mas permitindo que o país continue a desenvolver-se, apontou o ministro, na sua intervenção inicial.

Salientando que "estamos já neste momento a perder dezenas de milhões de euros, centenas todos os dias, porque aeroporto de Lisboa não pode receber a quantidade de voos que procuram todos os dias" aquela infraestrutura, "são menos receitas, são menos empregos, perde o povo português".

A 08 de Janeiro de 2019, a ANA - Aeroportos e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o actual aeroporto de Lisboa  e transformar a base aérea do Montijo num novo aeroporto.

No dia 30 de Outubro do mesmo ano, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) emitiu a proposta de Declaração de Impacto Ambiental (DIA) relativa ao aeroporto do Montijo e respectivas acessibilidades, tendo a decisão sido "favorável condicionada". A decisão final deverá ser conhecida no próximo dia 21 de Janeiro.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade