Revive: Forte da Ínsua, em Caminha, recuperação para breve

Através do programa Revive, foi adjudicado concurso para a concessão do Forte da Ínsua, em Caminha

O Forte da Ínsua, localizado na Ínsua de Santo Isidro, na freguesia de Moledo, a sul da Foz do Rio Minho, é um Monumento Nacional abandonado e em avançado estado de degradação.

Através do Programa Revive “foi encontrada uma nova vida para esta fortificação marítima abaluartada com planta estrelada irregular, que possui no seu interior um convento ampliado em 1676, mas com origem franciscana do século XIV, erguido por determinação de D. João I de Portugal”.


Assim, a concessão, por 50 anos, do Forte da ínsua foi adjudicada por €1001 de renda anual à empresa Diverlanhoso, prevendo-se um significativo investimento neste património único, de modo a “permitir a recuperação deste espaço como Estabelecimento de Hospedagem de qualidade elevada e a sua dinamização através do desenvolvimento de várias actividades de animação cultural”.


Este é um dos 33 imóveis inscritos na primeira fase do Revive, um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, com a colaboração das autarquias locais. Pretende-se com este programa valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atractividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país.

Em 2019 foi lançada a segunda edição do Revive, com a integração de 16 novos imóveis. O programa integra actualmente um total de 49 imóveis, dos quais 21 se localizam em territórios do interior.

Até ao momento foram lançados concursos para a concessão de 21 imóveis no Revive.

Actualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Forte da Barra de Aveiro, situado no concelho de Ílhavo, e do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira, integrado já na segunda fase do programa.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade