Revive: Mosteiro do Lorvão entregue ao Grupo Turim e Palacete dos Condes de Garcia ao Hoti Hoteis

O Grupo Hoteis Turim ficou com a exploração com o Mosteiro do Lorvão e o Grupo Hoti Hoteis ganhou a concessão do Palacete dos Condes de Garcia, ambos ao abrigo do programa Revive.

 

O Mosteiro do Lorvão, classificado Monumento Nacional, foi fundado em 878, pouco depois da reconquista cristã de Coimbra, pelos monges de Cluny, pertencentes à Ordem de São Bento. Em 1206, passou a albergar a Ordem de Cister.  Passou para a posse do Estado, em 1834, com a extinção das ordens religiosas, tendo mantido funções religiosas até à morte da última freira em 1887. Já no século XX, todo o imóvel foi requalificado para acolher um hospital psiquiátrico, encerrado em 2012.

A concessão do Mosteiro foi atribuída ao grupo Hotéis Turim, que também ganhou a concessão do Paço Real de Caxias, em Oeiras, pelo período de 50 anos e uma renda anual de 40.000 euros. O ministério adianta que o grupo hoteleiro vai fazer um investimento de 6.900.000 euros na recuperação e “instalação de um estabelecimento hoteleiro” no imóvel de Penacova, que deverá abrir ao público em 2022.

No que respeita à exploração do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira, a Hoti Hoteis, com a marca Star, vai pagar uma renda anual de 30.528,00 euros, no âmbito da recuperação do imóvel e da instalação de um "estabelecimento hoteleiro de quatro estrelas, num investimento que deverá rondar os quatro milhões de euros", anuncia no comunicado o Ministério.

Construído na viragem do século XIX para o século XX, este palacete é um exemplar arquitectónico do “estilo abrasileirado” ou “arquitectura dos brasileiros”, símbolo da afirmação e do prestígio pessoal e riqueza do seu proprietário, António Dias Garcia, natural de São João da Madeira, que fez fortuna no Brasil, explica o comunicado.

Após o desaparecimento de António Dias Garcia nos anos 40 do século passado, o palacete funcionou como Instituto de Línguas, como Centro de Formação da Indústria do Calçado, como Liceu e ainda como Tribunal.

Presentemente, estão abertos os concursos para a concessão da Quinta do Paço de Valverde, em Évora, e do Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo.

Prevê-se para Abril o lançamento de dois novos concursos para a concessão dos Fortes da Cadaveira e de S. Pedro, em Cascais.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade